Posts Tagged 'Fotografia'

O que é impressão fine art :

São impressões de fotografias, desenhos, pinturas e arte digital  por processo de dispersão de pigmento mineral em papéis de fibra de algodão, alfacelulose, fibra de bambu e outras matérias primas, usando  o mais rigoroso gerenciamento de cor e equipamentos de última geração, mediante a presença de especialistas, garantindo com que a impressão seja fiel ao que será reproduzido em seus mínimos detalhes e cores.

A preocupação com a durabilidade é uma das principais características desse tipo de impressão, podendo a mesma alcançar mais de 250 anos de permanência, caso sejam respeitadas as  Devidas condições de exibição e armazenamento.

Para que uma impressão seja considerada padrão fine art, tanto os papéis (geralmente de fibras de algodão, kozo ou semelhante) quanto as tintas de pigmento mineral costumam ser certificadas e normatizadas.

É importante também não só a expertise técnica do impressor, mas também a sua percepção interpretativa, já que, trabalhando em conjunto com o artista, conseguem dar um significado maior as imagens, agregando valor a todo o processo, sendo complementado sempre pela montagem da obra, ou seja, moldura com passe-partout de padrão conservação, fundo como barreira de qualidade conservação de 100% PH neutro, e todo o conjunto assinado e certificado.

 

É o mesmo que “Giclée”?

 

O termo Giclée, no início da tecnologia digital, se dava ao processo de fazer cópias (reproduções ou gravuras) de obras de arte em impressoras jato de tinta e papéis fine art. Essas reproduções, quando feitas da maneira correta, tem a vantagem única de que as cores dificilmente ficarão esmaecidas ou desaparecerão. A reprodução giclée é idêntica à cor do original, e algumas destas cópias são capazes de enganar até mesmo o olho mais treinado; a qualidade das impressões em canvas é notável. Hoje a palavra é usada livremente tanto para reproduções de obras de arte quanto para fotografias impressas em papéis nobres.

 

Somos um estúdio certificado da Hahnemühle!

 

Estamos aptos a emitir certificados de autenticidade, controlar tiragens e proporcionar uma qualidade de materiais e processos. Os certificados agregam valor à suas obras, comprovando sua autenticidade e suas especificações de tiragem ao mesmo tempo que atestam a qualidade da impressão, especificando o tipo de papel e o pigmento utilizado.

 

O controle das tiragens é indispensável no caso da produção de séries limitadas, facilitando o seu controle sobre as obras e, ao mesmo tempo, uma valiosa ferramenta para o comprador que pode certificar-se da autenticidade das obras que está adquirindo e dispor de informações sobre suas características e materiais.

 

PREPARANDO SUA IMAGEM PARA IMPRESSÃO

 

Preparando a sua imagem para uma impressão Fine Art.

 

Considerando que suas imagens já estão em seu computador, nossas recomendações são:

 

  1. 1. Primeiro, Trate a imagem em seu tamanho original, deixando os cortes (crops) e interpolações para o final, pois isso facilita a sua vida no caso de uma mudança de planos. Isso vale tanto para imagens capturadas em JPG quanto em RAW. Entretanto, prefira imagens em formato RAW. Se possível, trabalhe com fotos em 300dpi.

 

  1. 2. Impressão Fine Art Digital se faz em RGB, diferentemente de gráficas, que trabalham com CMYK, por isso, não converta seus arquivos para CMYK. Provavelmente eles entraram no seu computador como RGB, então deixe-os assim.

 

  1. 3. Sempre que possível trabalhe suas imagens em Adobe ProPhoto. Os melhores equipamentos de impressão existentes hoje, presentes na PandoraPix, já conseguem imprimir em ProPhoto, então use-o para tirar o máximo proveito das impressões. Você pode até trabalhar em espaços maiores, como Prophoto RGB, mas deverá converter para adobe RGB na hora de gerar o arquivo de saída. Ao converter no Photoshop tenha atenção para os “rendering intents”, alterne entre “relative colorimetric” e “perceptual” com a pré-visualização ativada e escolha o que melhor lhe servir.

 

  1. 4. Se você estiver tratando em ProPhoto RGB, usar 16 bits é praticamente uma regra. Já em Adobe RGB é uma boa ideia. Durante o tratamento 16 bits podem fazer toda a diferença evitando a ocorrência de “bandings” em degradês, por exemplo, De qualquer forma, não temos qualquer objeção em receber e imprimir arquivos em 8 bits caso seja de sua preferência.

 

  1. 5. Mesmo que você tenha capturado a imagem em JPEG, após tratá-la salve em algum formato que não use compressão com perda. Os melhores formatos são TIFF ou PSD. Quanto menos dados comprimidos pelo JPEG, melhor.

 

  1. 6. Caso você possua um monitor de boa qualidade (próprio para tratamento de imagens) calibrado e já saiba qual papel usará para a impressão, solicite-nos o perfil ICC do papel em questão para o nosso sistema de impressão. Assim, você poderá fazer um “softproof” para prever como as cores se comportarão na impressão. Porém, caso você não tenha um bom monitor calibrado e não saiba o que é “softproof”, não se preocupe. Realizamos em nosso estúdio esse “softproof” em nossos computadores e ambientes específicos para esse fim e, de preferência, com você ao lado para opinar.

 

  1. 7. Nos informe caso tenha alguma dúvida antes de gerar o arquivo final para impressão. Nosso serviço inclui a atenção especial da nossa equipe em seu trabalho. Se possível, traga a versão integral, já tratada, mas sem cortes, pois, em uma eventual interpolação ou em acréscimos de margens que podem ser feitos pela nossa equipe, definição de papel, talvez o tamanho final seja modificado. A escolha do papel é uma etapa muito importante e ninguém melhor que um especialistas para auxiliá-lo.

 

Dessa forma, você aumentará a qualidade de suas impressões. Aproveitando nossos serviços ao máximo.

 

DETALHES SOBRE OS PAPÉIS E METACRILATO

 

Impressões

 

Oferecemos papéis alemães Hahnemühle, franceses da Canson, e os japoneses da linha Awagami do tipo Washi (feitos a mão). Também Imprimimos em Canvas dos mesmos fabricantes. Trabalha-se com a impressão em formato de folhas soltas, sendo os seus tamanhos mais comuns A4 (21×29,7cm), A3 (29,7×42cm) e A2 (42×59,4cm), impressos com uma margem branca de aproximadamente 1,5 cm nos quatro lados; E, também, em formato de Rolo, onde o tamanho máximo fica na disponibilidade do estúdio de impressão. Aqui, na PandoraPix, o tamanho maior deve ser até 1,10 cm, tamanho máximo da nossa boca de impressão.

 

 

Detalhes dos papéis

 

Impressão em papéis 100% algodão texturizados:

São os papéis mais nobres das linhas Canson e Hahnemühle. Todos 100% algodão e manufaturados em sistema de mesa redonda, como o William Turner, Torchon,

Edition Etching. São texturizados e foscos.

 

Impressão em papéis 100% algodão:

São os papéis mais usados das linhas Canson e Hahnemühle FineArt, todos alcalinos, manufaturados em sistema de mesa plana, como o Canson Rag, Hahnemühle Photo Rag e o Photo Rag Baryta. Estes papéis são lisos quando foscos, e levemente texturizados quando semi-brilho (Photo Rag Baryta e Platine).

 

Impressão em papéis de alphacelulose:

São os papéis alfacelulose das linhas Canson ou Hahnemühle FineArt, todos alcalinos, como o Canson Baryta, PhotoGloss, Hahnemühle Silk Baryta, FineArt Baryta e FineArt Pearl.

 

Impressão em papéis especiais e canvas:

Os papéis da Awagami, da Rice Paper e Bamboo da Hahnemühle, são papéis especiais que devem ser orçados caso a caso, a depender da quantidade e tamanhos. Os canvas são impressos em rolos, e também devem ser orçados.

 

Metacrilato

 

Metacrilato é um termoplástico transparente, usado frequentemente como uma alternativa leve e resistente à quebras quando comparado ao vidro. Quimicamente, é o polímero sintético de metacrilato de metila.

 

No mercado de arte brasileiro, “metacrilato” passou a ser sinônimo de se montar fotografias embutidas entre duas placas de acrílicos, prontas para serem penduradas nas paredes, dispensando qualquer outro tipo de moldura; a montagem em metacrilato produz a sensação de profundidade e tridimensionalidade nas fotografias, sendo bastante apreciada nas galerias de arte contemporânea e decorações.

 

DETALHES SOBRE OS PAPÉIS FINE ART

 

Papéis Fine Art foscos de textura mediana:

 

Hahnemühle Museum Etching 350g (100% algodão)

Hahnemühle Torchon 285g (100% alfa-celulose)

Hahnemühle Germam Etching 310g (100% alfa-celulose)

Papéis Fine Art foscos de alta textura

 

Hahnemühle Albrecht Dürer 210g (100% algodão)

Hahnemühle William Turner 310g (100% algodão)

Papéis Fine Art semi-brilho e brilho:

 

Hahnemühle Photo Rag Satin 310g (100% algodão)

Hahnemühle Photo Rag Pearl 320g (100% algodão)

Hahnemühle Photo Rag Baryta 315g (100% algodão)

Canson Baryta Photographique 310g (100% alfacelulose)

Papéis Fine Art foscos de textura suave:

 

Canson Rag Photographique 310g (100% algodão)

Hahnemühle  Ultra Smooth 305g (100% algodão)

Hahnemühle Photo Rag 308g (100% algodão)

Hahnemühle    Rice Paper 100g (100% alfa-celulose)

Hahnemühle  Bamboo 290g (90% fibra de bambu e 10% algodão)

Telas (canvas):

 

Hahnemühle Monet Canvas 410g (100% algodão)

Washi (papéis Japoneses):

 

Sob encomenda. Diversos estilos como Unryu, Kozo, Mitsumata e muitos outros.

 

 

Caixas de Portfólio

 

Elegantes caixas para apresentação e armazenamento, rígidas e produzidas totalmente dentro dos padrões de conservação com materiais alcalinos de até 50 folhas/impressões avulsas ou 14 montagens com passe-partout para portfólio. Disponível nos tamanhos A4 (22,5cmx31cmx 3,5cm) e A3+  (33,6cm x 48,9cm x 3,5cm), na cor preta.

 

Clear Bags

 

Sacos de  poliéster alcalinos de diversos tamanhos que garantem aos seus trabalhos a conservação e armazenamento adequados, de acordo com as regras de conservação Fine Art. Barato, simples e elegante.

 

 

Certificados

 

Todas as impressões feitas na PandoraPix são certificadas, preservando matizes de cor, texturas e luzes de acordo com o padrão original do artista, e são aprovadas, certificadas e assinadas pelo próprio. Com gerenciamento de cores baseado em perfis ICC e tratamento de imagem efetuado por profissionais, seguimos os padrões museológicos de fine art.

 

A obra recebe um certificado no verso e outro para arquivamento com as informações da obra (medidas, tiragem e datas).Enviamos seu trabalho para o Brasil e exterior, em embalagens de material de PH neutro (tubo ou caixa) que protegem e garantem a integridade no transporte.

 

OUTROS SERVIÇOS

 

A Pandorapix também realiza outros serviços voltados para fotógrafos, como digitalização de negativos, scan de trabalhos e calibração de monitores.

 

Digitalização de negativos e capturas de imagem Gicleé

 

Realizamos o escaneamento em alta de negativos e slides, para que você possa ter seus arquivos em alta resolução digital, possibilitando impressões de alta qualidade em diversos tamanhos.

 

A captura de imagens em Giclee é apropriada para trabalhos como Aquarelas e desenhos que precisam ser digitalizados, tanto para futuras impressões quanto para armazenamento do Artista.

 

Calibração de monitores

 

O procedimento de calibração de monitor para um fotógrafo é uma etapa muito importante para quem imprime seus trabalhos, pois a calibração proporciona ao fotógrafo um nível de reprodução mais fiel ao que se apresenta na tela digital. Realizamos a calibração de monitores em domicílio, de acordo com as necessidades dos clientes.

 

Estúdio de impressão fine art e venda de fotografia autoral Contemporânea.

A PandoraPix é seu estúdio fine art certificado pela Hahnemühle no Brasil.
Oferecemos em nossa loja on line fotografias contemporâneas com tiragens limitadas,
numeradas e assinadas por fotógrafos renomados no mercado.
Todas as fotografias fine art estão disponíveis em tiragem limitada, numeradas,
certificadas e assinadas pelos artistas.


PandoraPix é a sua melhor opção de estúdio de impressão fine art.


Atendemos artistas, designers, curadores, produtores e demais profissionais do mercado de arte.


Ajudamos você realizar seu Projeto.


A sede é no Rio de Janeiro e atendemos também em todo o Brasil.


Produzimos desde caixas de portfolio até exposições completas, imprimindo em diversos suportes.


Nossas impressões são feitas seguindo padrões museológicos, em papel de algodão Hahnemuhle e Canson, que garantem durabilidade de até 250 anos.


Utilizamos materiais de ph neutro, monitores calibrados, impressora HP Designjet com boca de 111 centímetros e 12 cores em pigmento mineral, e todo o nosso processo é supervisionado por profissionais com experiência no ramo de ampliações fotográficas.

Cuidamos com excelência da sua impressão: desde o tratamento das imagens e da garantia de fidelidade de cores até a entrega em sua casa!


Oferecemos atendimento personalizado para que vocês, artistas plásticos, fotógrafos, designers, arquitetos e amantes da imagem, tenham a certeza da qualidade e durabilidade de seus trabalhos.


Venha nos conhecer, a PandoraPix está aberta!

http://www.pandorapix.com

PandoraPix – é uma nova opção de Ateliê de Impressão fine art.

[tweetmeme source=”carreramarcelo” only_single=false]

pandora 2

A PandoraPix é uma  nova opção de Ateliê de Impressão  fine art.

Oferecemos  serviços de impressão de qualidade superior e personalizados.

Atendemos artistas, designers, curadores, produtores e demais profissionais do mercado de arte.

Ajudamos você realizar seus Projetos.

Imprimimos portfólios, exposições em diversas mídias papel algodão Hahnemuhle e Canson, canvas e papeis especiais.

Atendimento exclusivo com hora marcada.

A sede é no Rio de Janeiro mas atendemos todo o Brasil

Quer Mais ?

Somos – Comprometidos, Criativos, Flexíveis, Eficientes

Entre em contato
21 3283 8000
contato@pandorapix.com
Skype – marcelocarreramaia

Imagem

Intervenção Fotográfica no Alemão

[tweetmeme source=”marcelocmaia” only_single=false]

Totem Art no FOTO RIO 2011

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Projeto Totem Art    é um coletivo de artistas visuais do Rio de Janeiro  formado  em 2011 por artistas que se conheceram em cursos livres de arte,  parque Lage e Atelier da Imagem
E  tem como proposta desenvolver trabalhos autorais sobre diferentes temas e buscar espaços expositivos alternativos que possibilitem a divulgação desses trabalhos.
Totem Art foi idealizado pelos artistas Tatiana Guinle e Marcelo Carrera, e surgiu da necessidade de encontrar um suporte que possibilitasse  a visibilidade do trabalho
em espaços públicos como livrarias, cinemas e eventos, bem como nos espaços expositivos tradicionais,  de forma flexível , móvel e compacta .
O Totem é um suporte multimídia  que pode  ser usado em exposições fotográficas, como também de vídeos e filmes, em 2D e 3D. Ele é composto por uma tela de LCD
 com 55 polegadas ultra fina e moderna (em titânio escovado), mede 1,93 mts  x 1,30 mts  e pesa 70 quilos.
A primeira edição do Totem traz comoo tema LIMITE e conta com a participação dos seguintes  artistas convidados : Ana Carolina Fernandes, AnaCris Loureiro, João Pacca, Juscelino Bezerra,
Maria Paula Vianna, Marcelo Carrera, Marcio Oberlaender, Marina Marchetti, Pedro Farina,  Príamo Melo, Silvia Magalhães Pinto e Tatiana Guinle.
Os artistas abordaram o tema  Limite das mais diferentes formas e estilos. O resultado é uma exposição sensível, poética e criativa. O formato de apresentação  é  5×5
(5 fotos por artista, exibidas por 5 segundos cada uma), criando um pequeno ensaio com uma narrativa autoral sobre o tema.
Nessa primeira edição teremos  a Curadoria de Milton Guran, e esse suporte itinerante Totem Art, com o trabalho desses 12 artistas, vai percorrer todo o circuito de aberturas das
exposições do FOTO RIO 2011, com a seguinte agenda:

DIA 28 DE MAIO 
CENTRO CULTURAL HELIO OITICICA   das 16:00 as 19:00  hrs  Abertura

DIA 06 DE JUNHO 
CENTRO CULTURAL DOS CORREIOS   das 19:00 até as 22:00 hrs Abertura

DIA 07 DE JUNHO 
CENTRO CULTURAL LAURINDA SANTOS LOBO 
DO DIA 9  DE JUNHO ATE  17 DE JULHO
   CENTRO CULTURAL JUSTICA FEDERAL  Visitação de Terça a Domingo  das 12:00 até as 19:00 hrs
ENTRADA FRANCA
Essa  característica  de mobilidade, somada a flexibilidade do suporte para várias mídias,  e ainda de criar um espaço expositivo contemporâneo para que diversos artistas
possam mostrar seu trabalho,  fazem do Totem   Art uma mídia muito interessante, eficaz e dinâmica.
[tweetmeme source=”marcelocmaia” only_single=false]

Meninas da Vila – Vila Mimosa, Cartão postal secreto do Rio de Janeiro

Meninas da Vila  – Vila Mimosa, Cartão postal secreto do Rio de Janeiro Por Marcelo Carrera & Pedro Farina
[tweetmeme source=”marcelocmaia” only_single=false]
 


Nossa relação com a fotografia é profunda, intensa, orgânica, ultrapassa a paixão pelas imagens e o que elas representam hoje.
Em nosso ponto de vista, fotografar é eternizar um momento que já não existe, está morto, e que constitui uma tentativa tola de negar a morte, aprisionar a vida, lidar com o desejo delirante de perdurar a própria existência, como uma garrafa jogada ao mar do tempo, contendo uma mensagem para ser interpretada no futuro. É assim que nosso Coletivo se relaciona com as imagens e funciona criativamente.
O projeto Meninas da Vila (Vila Mimosa, cartão postal secreto do Rio de Janeiro) nasceu da curiosidade sobre essa vila centenária e pela necessidade de tentar entender um pouco melhor quem eram essas mulheres: se frequentavam a igreja; como lidavam com sentimentos como ‘culpa’, ‘vergonha’, ‘medo’; de que modo interagiam com suas famílias e com a moral cristã predominante.
Várias outras questões foram surgindo e juntando-se às que inicialmente nos motivaram: que caminhos de vida e circunstâncias as levaram àquele lugar? Por que motivo alguém concorda em se prostituir por R$ 28,00 e ficar com apenas R$18,00 depois de pagar o valor do quarto? Onde, como, com quem gastam o que recebem?
Um ano e muitas visitas depois, descobrimos que temos muito mais semelhanças com essas mulheres do que imaginávamos a princípio.
Não queríamos julgar nem parecer que estávamos em um zoológico, queríamos retratar os olhares, o vazio, o medo, os abusos, as tatuagens, os valores e o código de ética do local.
É, portanto, um trabalho documental ainda em andamento, por meio do qual estamos ‘invadindo’ a vida particular dessas mulheres, bem como os cafetões e clientes. É o que os americanos chamam de Enviromental Portraits.
Em termos técnicos, usamos somente luz natural, o que significa dizer que usamos quase nenhuma luz, pois os quartos são minúsculos, tendo, na maioria das vezes, uma lâmpada fraca, uma janela ou uma fresta no telhado.
Contudo, fomos percebendo que essa condição de pouca luminosidade nos possibilitava mostrar de forma contundente as cores e texturas das paredes, bem como, em muitos casos, contribuía para esconder os rostos, tirando partido das sombras, ou oferecendo enquadramentos agressivos, que traduzem inquestionavelmente aquela realidade como a víamos em cada sessão.
Muitos nos perguntam qual o propósito de tudo isso. Outros indagam o que de novo estamos trazendo com esse trabalho. Já nos questionaram até qual seria o tipo de perversão que nos motiva. Sadismo?!
Acreditamos que a resposta vai além da experiência fotográfica, pois o que nos interessa são as pessoas e a documentação desse ambiente tão hostil, raramente conhecido fora daqueles quarteirões, dificilmente divulgado para o público que não o frequenta.
Assim, pretendemos propor uma reflexão sobre ética, valores, direitos femininos, descaso do governo, hipocrisia, buscando estabelecer alguma comunicação entre esse universo quase sempre ‘varrido para baixo do tapete’ e este outro do qual somos parte, gerando informação, pois a ignorância é a mãe de todos os preconceitos.
Consideramos fundamental ressaltar que as “meninas” não foram dirigidas, e que nunca tivemos relação sexual com elas: o método era sempre pagar o programa de 15 minutos e, nesse intervalo, em um quarto imundo e escuro, tentar fazer retratos que representassem aquela experiência.
Muitas vezes fizemos fotos com filme, usando médio formato, e, para entrar com uma Hasselblad em um lugar com essas características, é preciso ter muita disciplina, além de uma grande motivação para fotografar.
Podemos afirmar que essa experiência tem nos afetado profundamente, mas tem nos dado uma perspectiva totalmente nova, e isso nos motiva. É a revelação de um mundo novo, uma nova regra, novos personagens, muitos dos quais, embora vivam da ‘indústria’ do sexo, não se reduzem à sua prática. Não nos move qualquer espécie de sadismo ou perversão: sentimos-nos desenvolvendo uma experiência sociológica relevante sob todos os aspectos.
Todas as fotografias desse trabalho são de pessoas que, assim como eu e você, almejam a felicidade.
Pode ser que não lhe interesse saber que existe uma vila no Rio de Janeiro, com mais de 100 anos, tida como a maior zona de prostituição heterossexual do mundo, onde cerca de 1.000 mulheres trabalham 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pode ser que você deteste as fotos resultantes do nosso trabalho….mas nosso projeto foi feito para que você não possa negar que ela existe ou quem sabe no futuro existiu.
Marcelo Carrera & Pedro Farina

Josef Koudelka (O Cabuloso)

[tweetmeme source=”marcelocmaia” only_single=false]

Tem alguma coisa especial na fotografia  de Koudelka que me interessa muito, me provoca e me  incentiva a fotografar. Fui tentar entender um pouco  de sua Biografia e tentar descobrir o porquê…

O  Sinistrão  do  Koudelka  nasceu  em 1938 na Tchecoslováquia, e começou  como muitos outros fotógrafos, fazendo fotos da familia e dos amigos (com uma camera Bakelite 6×6).  Se formou como engenheiro em Praga em 1961,  e em 1967 desistiu da profissão para trabalhar apenas com a fotografia..

ao que ficou conhecido como primavera de Praga. Os negativos do “Cabuloso” Kouldelka foram contrabandeados pelas mãos da agência Magnum, e publicados  anonimamente  no jornal  Londrino

The Sunday Times. Com medo de sofrer represálias, assinou com  as Iniciais PP (Prague Photographer), o que não o impediu de ser premiado no mundo todo. Em 1970, pediu asilo político para

Inglaterra, e no ano seguinte entrou para mítica agência Magnum.  Em 1987, se tornou Cidadão Francês e só pôde retornar à Tchecoslováquia em 1991.

Atualmente vive na  França e continua fotografando as paisagens européias. Tem duas filhas e um filho, cada um de uma nacionalidade diferente: França, Inglaterra e Itália.

Suas fotos silenciosas gritam, pelo contraste e pelo sentimento que  provocam. Referência  fotográfica  das mais importantes, não gosta muito de comentar sobre sua fotografia:

A fotografia de Koudelka, fala sobre a morte, sobre o cotidiano tem a leveza e a força de quem retrata seu tempo com um olhar presente, conectado na realidade e na eternidade do momento, seja a morte a guerra ou uma bela paisagem.

Falar da morte e da guerra e de excluidos sociais com tanta beleza e de forma tão contundente é oque me faz admirar seu trabalho, as fotos dele  são  capsulas do tempo, contando sobre momentos incríveis para gerações futuras.

Registrar  a   impermanência, a morte  a guerra os excluidos com paixão, coragem e beleza fazem de Koudelka um Cabuloso admiravel.

“Minhas  imagens falam por si só”, é o pouco que diz… e eu concordo ABSOLUTAMENTE, elas são Maravilhosas.


Follow carreramarcelo on Twitter

Flickr

Mais fotos

Blog Stats

  • 29,656 Visitas

Atualizações Twitter

Twitter

Facebook

Bookmark and Share

x

Mais Avaliados